quarta-feira, 26 de maio de 2010

Era quase sempre assim. E era estranho pra caramba. Nem eu entendo esses hiatos. Vai ver vêm dessa vontade recorrente que eu tenho de voltar, de vez em quando. É como se nem tudo estivesse perdido, como se ainda houvesse alguma forma de salvação; como se algum gesto ou palavra nossa ainda fosse capaz de anular todo mal que fora feito. E não é que eu acabo voltando? Cada volta acaba sendo um recomeço, por que é verdadeiramente impossível retomar de onde nos perdemos. E eu acho até que já perdi a conta das vezes que recomeçamos. Mas hoje, sentada aqui no meio desse vácuo que somos "nós" agora, a saudade que eu sinto é implacável. E o destino is a bitch! Fica insistindo em me mostrar você, e todas as coisas que eu fiz de errado.

"E recomeçar é doloroso. Faz-se necessário investigar novas verdades, adequar novos valores e conceitos. Não cabe reconstruir duas vezes a mesma vida numa só existência. É por isso que me esquivo e deslizo por entre as chamas do pequeno fogo, porque elas queimam - e queimar também destrói."

2 comentários:

pesquisa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gabriela disse...

Adorei essa citação final. De quem é? Olhe, amiga. A melhor parte de ficar só é redescobrir a alegria por si, e não pelo outro.